Viagens podem afetar a visão

Viagens podem afetar a visão

7.2-Viagens

 

Os olhos sofrem no período de férias e viagens. Prova disso, é que a conjuntivite, inflamação da conjuntiva, está entre as principais doenças transmissíveis entre turistas.

 

De acordo com o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, um dos fatores que contribuem com a disseminação da doença é o uso abusivo de ar condicionado, que nem sempre tem manutenção adequada e infesta o ar com vírus e bactérias.
O risco de contaminar os olhos é ainda maior entre as pessoas que optam pelos cruzeiros e não resistem a um banho de jacuzzi. Isso porque, a água quente facilita a proliferação de fungos e bactérias. A contaminação da córnea pode causar dor intensa, olhos vermelhos e aversão à luz. Usar lentes de contato em jacuzzis, praias ou piscinas dobra o risco de contaminação fulminante da córnea e pode cegar.

 

O médico diz que na cabine de aviões a quantidade de oxigênio no ar é menor e a umidade cai 30%. Por isso, os olhos ficam ressacados e se transformam em uma porta aberta para contaminação. Com a popularização do transporte aéreo não é de se estranhar que o número de notificações de conjuntivite esteja em alta nos boletins epidemiológicos, afirma.
Queiroz Neto afirma que no avião as lentes de contato devem ser substituídas por óculos sempre que o voo ultrapassar 2 horas.  Isso porque, a baixa umidade das cabines faz com que a lente que fica suspensa sobre a córnea entre em atrito com sua camada externa, mesmo que a lágrima artificial seja instilada no olho. Mesmo quem usa óculos deve carregar um colírio de lágrima artificial no avião para melhorar a lubrificação dos olhos.

 

Siga as orientações e aproveite ao máximo as férias!

 

Fonte: LDC Comunicação

 

Os comentários estão desativados.