Pais devem estar atentos à visão infantil no período de volta às aulas

Pais devem estar atentos à visão infantil no período de volta às aulas

13-Volta_as_aulas

 

Material escolar, mochila, uniforme, transporte e mensalidade são alguns dos itens que mais preocupam os pais na volta às aulas. Porém, com a rotina muitos se esquecem de relacionar o período à saúde dos pequenos.

 

De acordo com o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, consultor médico da Abióptica – Associação Brasileira da Indústria Óptica -, o ideal é que as crianças tenham a primeira consulta com o oftalmologista dos 3 aos 5 anos de idade, principalmente na fase escolar. “É a partir dessa idade que os olhos começam a atingir o desenvolvimento pleno e, mesmo que a criança não apresente nenhuma dificuldade ou queixa, é importante realizar os primeiros exames. Nesse momento, a orientação de um especialista pode prevenir danos irreparáveis”, orienta o médico.

 

Outro ponto importante diz respeito ao rendimento escolar. “Aproximadamente 15% das crianças do ensino fundamental apresentam algum tipo de problema visual, que pode ser refletido no aprendizado. O combate à evasão escolar deve ser feito por meio da correção visual, seja com o uso de óculos, indicação de terapias, realização de cirurgias ou outros procedimentos oftalmológicos”, ressalta o doutor Leôncio Queiroz Neto.

 

A criança com dificuldade em enxergar adquire alguns hábitos que servem de alerta para pais e professores. O oftalmologista aponta algumas dicas e sinais que podem ajudar na identificação de problemas de visão. “Até os dois anos de idade, os pais devem ficar atentos ao lacrimejamento constante; olhos vermelhos com secreção; aversão à luz; íris muito grande, com reflexo, cor acinzentada ou opaca e falta de interesse pelo ambiente e por objetos”.

 

Já dos três aos sete anos, os pais devem procurar um médico oftalmologista quando a criança apresentar dor de cabeça ou nos olhos com frequência; tombar a cabeça para um lado; assistir TV muito próxima da tela; desviar os olhos para o nariz ou para fora; esfregar os olhos após esforço visual ou fechar um dos olhos em locais ensolarados; fazer careta ou franzir a testa para enxergar; apresentar baixo rendimento escolar; ser excessivamente tímida e ter dificuldade em distinguir ou combinar cores.

 

Fonte: Abióptica / Dr. Leôncio Queiroz Neto

Os comentários estão desativados.