Óculos prontos: um perigo à saúde

Óculos prontos: um perigo à saúde

Post. 16/06/15

5.2-_culos_prontos

 

 

De acordo com estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Brasil 26% da população tem 40 anos de idade e, de acordo oftalmologistas, grande parte dessas pessoas é portadora da presbiopia, mais conhecida como vista cansada, e responsável pela dificuldade para enxergar de perto. Isso ocorre porque o cristalino, uma lente natural do olho, vai perdendo a flexibilidade, condição necessária para ajustar o foco.

 

Para adequar a visão, muitas pessoas tem recorrido à utilização de óculos prontos, que são vendidos em farmácias, supermercados, lojas de conveniência e até mesmo em camelôs. Esses óculos possuem grau aproximado ao indicado pelo médico e é aí que está o perigo.

 

Eles apresentam graduações específicas que podem não corresponder exatamente ao grau do paciente, que pode estar usando óculos fracos ou fortes para sua necessidade, acarretando distúrbios visuais, dores de cabeça e desconforto na região ocular. Até porque o uso dos óculos prontos pode forçar mais um olho que o outro, o que possivelmente resultará em mais problemas visuais.

 

Abaixo as principais diferenças entre os óculos prontos e os prescritos:

 

Óculos Prontos / Óculos Prescritos

 

Distância pupilar padrão / Distância pupilar personalizada

 

Mesmo grau nas duas lentes / Graus diferentes para cada olho, presente na maioria das pessoas

 

Avaliação da leitura feita a diferentes distâncias / Avaliação feita sempre na mesma distância

 

Frequentes irregularidades na superfície das lentes que podem causar astigmatismo / Lentes com superfície regular

 

Grau aproximado que pode agravar a presbiopia / São prescritos com grau correto

 

 

Fonte: Abiótica

Os comentários estão desativados.