Exames preventivos reduzem riscos de doenças oftalmológicas em crianças

Exames preventivos reduzem riscos de doenças oftalmológicas em crianças

Post 12/02/15

 

Exame

 

Os pais costumam se preocupar com a saúde da criança e ficam atentos às datas de vacinação e visitas ao pediatra.

 

Porém, o que muita gente não lembra é que nesta fase também é fundamental dar atenção ao desenvolvimento visual.

 

Várias doenças oculares tem início durante a infância e podem acometer as crianças e adolescentes. A boa notícia é que a maioria pode ser evitada com exames preventivos e tratamentos específicos. “Se pais ou pediatras perceberem qualquer alteração visual, é importante consultar o oftalmologista o mais breve possível. Se não houver nenhuma suspeita, a primeira avaliação deve ocorrer com um ano de idade. A partir daí, recomendamos uma reavaliação entre três e quatro anos e consultas anuais durante o período escolar”, aconselha Fabio Pimenta, oftalmologista do H. Olhos (Hospital de Olhos Paulista).

 

Assim como as vacinas, os exames oftalmológicos preventivos também são de suma importância. “O desenvolvimento da visão ocorre de forma mais intensa nos primeiros cinco anos de vida, portanto é imprescindível fazer avaliações periódicas afim de evitar falhas neste momento. Porém, se houver algum antecedente de prematuridade ou alteração ocular importante na família, a criança deve ser levada precocemente ao oftalmologista para investigação”, diz o médico.

 

Dentre os problemas mais comuns que ocorrem nesta fase estão erros de refração (grau de óculos), ambliopia (olho preguiçoso) e estrabismo, todos com potencial de correção quando percebidos a tempo.

 

A ambliopia é uma disfunção caracterizada pela baixa de visão em um dos olhos, ou mais raramente nos dois, sem nenhuma anormalidade aparente. Deve ser reconhecida nos primeiros anos de vida para que o tratamento possa ser feito e haja chance de melhora da visão.

 

Erros de refração como miopia, astigmatismo e hipermetropia devem ser corrigidos com os óculos para proporcionar uma visão melhor e assim desenvolver toda a capacidade visual da criança.

 

Estrabismo pode ser percebido logo ao nascer ou nos primeiros anos de vida, situação que deve ser tratada rapidamente para evitar prejuízos no desenvolvimento da visão.

 

Para saber se a criança tem algum problema de visão, os pais devem observar:

– se a criança fixa o olhar nos pais ou objetos;

– se existe reflexo esbranquiçado no centro da pupila (normal é a pupila ser escura);

– se há diferença visível entre os olhos (tamanho, posicionamento dos olhos e pálpebras);

– se os olhos desviam da posição de frente para dentro ou para fora (estrabismo);

– se tem dificuldade ou desinteresse para estudar e se concentrar em tarefas com exigência visual;

 

“Uma vez detectado qualquer dos problemas, os pais devem procurar de imediato o oftalmologista e seguir as orientações e tratamentos indicados para garantir a possibilidade de tratamento”, conclui.

 

Fonte: Porta Voz

Os comentários estão desativados.